Olá brisa do mar!

Eu costumava comer trigo diariamente. Fazia parte do meu pequeno-almoço, almoço e jantar e nem dava por isso. Porquê? Porque o trigo está por todo o lado! Está presente nos cereais de pequeno-almoço, no pão, massas, grãos (ex., cuscuz e bulgur) para não falar de bolachas, bolos…Basicamente pensa em farinha, pensa em trigo.

Quando comemos a mesma coisa frequentemente o mais provável é que não seja boa para nós. O nosso organismo precisa de variedade. Acredita em mim, eu não sabia o que era a variedade até ter vindo viver para os Açores e ter escrito o meu livro Back to Natural. A diversidade é importante não só porque iremos ter acesso a diferentes nutrientes, mas também iremos evitar sobrecarregar o nosso organismo com certos alimentos que poderão não ser os melhores para nós, mesmo aqueles considerados saudáveis. Lembra-te disto: “O alimento de uma pessoa é o veneno de outra”.

Tive de aprender isto da pior forma. Acabei por desenvolver alguns problemas de saúde por causa da maneira como comia. Ok, não consumia comia carne e quase açúcar nenhum, mas ao mesmo tempo comia a mesma fruta, vegetais, grãos, proteína animal todos os dias. Pensava apenas em satisfazer as minhas papilas gustativas sem perceber que elas podem ser ensinadas!

Se estás farta de comer trigo, este artigo é para ti. Irás ficar a conhecer outros grãos sem ser o trigo para que possas trazer outros para casa da próxima vez que fores às compras. Os grãos que te vou apresentar a seguir são todos sem glúten:

 

1.Arroz integral

Este é o meu grão favorito. Podes encontrá-lo em qualquer lado e é barato. Ok, é mais caro do que o arroz branco mas também é mais benéfico como expliquei num artigo anterior. Já agora, porque é que tudo o que é mais saudável é também mais caro?

Se és fã de massa, deixa-me dizer-te que podes encontrar massa de arroz integral nas lojas de produtos naturais. E já ouviste falar de galetes de arroz? Apenas têm 2 ingredientes (pelo menos as que conheço, mas verifica antes de comprares): arroz integral e sal. As galetes de arroz podem servir de substituto do pão ou simplesmente como snack.

 

2. Quinoa

Considerada “o ´grão´dourado dos Andes” devido ao seu elevado valor nutricional, a quinoa também faz parte da minha alimentação. De facto, a quinoa tem em geral mais proteína do que a maioria dos grãos, mas curiosamente a quinoa não é um grão mas uma semente.

Há muitas variedades de quinoa. Sabias que há mais de três mil variedades cultivadas e selvagens? A variedade mais popular é a quinoa real caracterizada por ser um grão de tamanho grande. Também podes encontrar quinoa branca, vermelha e preta. Pessoalmente prefiro a quinoa branca, mas se queres dar alguma cor aos teus pratos podes misturar a quinoa branca e a vermelha como às vezes faço.

 

3. Millet

Este cereal não é muito comum no Ocidente, mas é uma cultura importante em algumas partes da Ásia e África. O millet é uma boa fonte dos minerais cobre, fósforo, manganês e magnésio.

Antes de cozinhares o millet aconselho-te a tostá-lo para lhe dar mais sabor. Contrariamente a outros grãos, para cozinhar millet vais precisar de mais água: 2,5-3 partes de água, dependendo do teu gosto, para 1 parte de millet.

Na Índia podes encontrar roti feito com farinha de millet chamado bajra roti. Ainda não experimentei fazê-lo em casa, mas estou desejosa. Caso goste deste roti serás a primeira a saber! Também irei partilhar a receita contigo, fica descansada.

 

4. Trigo sarraceno

Apesar do seu nome o trigo sarraceno não tem nada a ver com trigo. Como a quinoa, o trigo sarraceno parece um grão, mas é na realidade uma semente e é por isso que é chamado de pseudo-cereal. O trigo sarraceno é rico nos minerais manganês, cobre, magnésio e fósforo. Tem também muita fibra.

Também podes encontrar massa de trigo sarraceno em lojas de produtos naturais. O meu namorado gosta imenso! Procura por soba que é o nome japonês de trigo sarraceno.

 

Qual é o grão que gostarias de experimentar primeiro? Adoraria saber o que pensas!

 

Nutre o teu ser,

Natacha

 

Pin It on Pinterest