Olá brisa do mar!

Tal como tantas mulheres, tomei a pílula durante muitos anos. Acabei por decidir pôr um fim a isso quando ganhei consciência do que estava a fazer ao meu corpo, como explico no meu livro Back to Natural. E alternativas? Fiquei a saber que monitorizando determinados indicadores do meu corpo poderia saber se estava fértil ou infértil e, assim, escolher se queria tentar engravidar ou não. Mas antes de decidires se queres continuar a ler este artigo gostava que soubesses que a fertilidade não é um assunto das mulheres. É um assunto do casal. E mais, este entendimento irá mudar a tua relação…para melhor.

Ao contrário dos homens, as mulheres não estão sempre férteis.  De facto, a fertilidade das mulheres resume-se apenas a 6 dias por ciclo pelos seguintes motivos:

  • Os espermatozóides podem sobreviver até 5 dias no corpo da mulher
  • O óvulo sobrevive no máximo 24 horas depois da ovulação*

A chave para identificar o período fértil consiste na monitorização do ciclo menstrual cuja duração varia de mulher para mulher (em geral de 24 a 36 dias)**. Para tal, o Método de Consciência da Fertilidade recorre à observação de três indicadores primários:

  • Temperatura basal: é a temperatura logo ao acordar, ou seja, antes mesmo de sair da cama. A medição deve ser feita oralmente, todos os dias à mesma hora e com pelo menos 3 horas de sono. Este indicador permite apenas saber que a fase fértil já passou devido ao aumento sustentado da temperatura provocado pela libertação de progesterona
  • Muco vaginal:  o muco vaginal permite o transporte dos espermatozóides, caso contrário não sobreviveriam no corpo da mulher. Contudo, o tipo de muco varia ao longo do ciclo – não existente/seco, pegajoso, cremoso, escorregadio e/ou tipo clara de ovo – tornando-se mais líquido à medida que a ovulação se aproxima devido à influência do estrogénio. É este tipo de muco, mais escorregadio que muitas vezes se assemelha a uma clara de ovo, que é considerado o ideal para o transporte dos espermatozóides e, logo, para engravidar
  • Posição do colo do útero: este indicador serve de apoio aos outros dois. O colo do útero varia entre firme, baixo, fechado e não molhado na fase infértil a suave, aberto, alto e molhado na fase fértil

Estima-se que um casal fértil tenha cerca de 25% de probabilidade de engravidar*** num determinado ciclo, mas claro que se tiver em conta estes indicadores as probabilidades podem aumentar consideravelmente! Caso não pretenda engravidar, então o casal tem duas opções: a abstinência ou a utilização de métodos de barreira, como o preservativo, na fase fértil.

O Método de Consciência da Fertilidade quando usado correctamente, e com abstinência na fase fértil, tem apenas uma taxa de insucesso de aproximadamente 2%***. Contudo, como este método não confere protecção de doenças sexualmente transmissíveis é apenas aconselhável a casais monogâmicos.

Se este método despertou a tua curiosidade aconselho-te a começares por ler o e-book da Patrícia Lemos, educadora para a saúde menstrual e para a fertilidade.

 

Sorri e sê feliz,

Natacha

 

*De acordo com Toni Weschler, educadora da saúde da mulher, no seu livro Taking Charge of Your Fertility, numa pequena percentagem de ciclos podem ser libertados dois ou mais óvulos, a chamada ovulação múltipla da qual resultam os gémeos falsos. Assim,  é importante incluir um período extra de 24 horas, o que dá 7 dias. Contudo, Toni Weschler considera que para efeitos de contracepção o ideal é contar com um total de 8-10 dias de janela fértil.

**Uma mesma mulher também poderá ter ciclos menstruais com durações diferentes.

***WESCHLER, Toni (1995). Taking Charge of Your Fertility. United Kingdom: Ebury Publishing (ed. 2003).

 

Pin It on Pinterest