Olá brisa do mar! 

Para além da meditação, uma outra técnica que uso sempre que me sinto stressada ou ansiosa é o tapping. Na realidade o tapping ajuda-me a sarar qualquer emoção negativa que experiencie, seja do presente ou do passado. Por exemplo se estou:

  • Chateada com o meu namorado por alguma razão
  • Triste porque alguém de quem gosto morreu
  • Ansiosa com um prazo
  • Receosa de algo
  • Zangada com alguém que me magoou

Então o que é o tapping? O tapping é uma combinação de acupunctura e psicologia e, da minha experiência, apresenta óptimos resultados num curto período de tempo. Para além disso, podes começar agora mesmo a utilizar esta técnica se quiseres!

A primeira vez que ouvi falar do tapping foi no livro The Wild Genie (2013), da Alexandra Pope. Fiquei curiosa a respeito desta técnica, por isso decidi tentar encontrar na Internet mais informação sobre o assunto. Devo admitir que a minha primeira impressão, depois de ter visto como funciona esta técnica, não foi muito boa. Achei que era algo estranho e estava um pouco céptica…Contudo, decidi experimentar e rapidamente comecei a ver resultados. Até pensei em dedicar um capítulo do meu livro Back to Natural ao tappingmas depois achei que era demasiado cedo. Precisava de continuar a praticar até ter 100% certeza da sua eficácia. É por isso que estou agora a escrever este artigo.

Como não tinha muita informação a respeito desta técnica, decidi comprar o livro The Tapping Solution (2013), do Nick Ortner.  Fiquei a saber que foi criada em 1979 pelo Dr. Callahan, um psicólogo que estudou os meridianos do corpo para ajudar uma das suas pacientes a curar-se da fobia que tinha da água. Mas talvez estejas a perguntar-te: o que são meridianos? Os meridianos são canais energéticos que transportam o chi (a energia vital) ao longo do corpo. Estão presentes em ambos os lados do corpo e cada par relaciona-se com um órgão específico (ex., estômago, rins). Podes aceder aos meridianos através das agulhas de acupunctura ou utilizando o método tapping.

A técnica do Dr. Callahan foi mais tarde simplificada por um dos seus estudantes, Gary Craig. Ele criou uma sequência única que se tornou a base daquilo que se chama agora de Emotional Freedom Technique (EFT), em português Técnica de Libertação Emocional. Vou mostrar-te como funciona já daqui a pouco. Contudo, deixa-me primeiro explicar-te a ciência por trás desta técnica.

Quando estamos num estado emocional negativo o nosso cérebro fica alerta preparando o nosso corpo para a resposta de lutar ou fugir. No passado este mecanismo existia para que pudéssemos reagir a uma ameaça externa como um leão. Para estarmos preparadas para lidar com este perigo, os nossos níveis de adrenalina e cortisol subiam no sentido de lutarmos ou fugirmos. Hoje em dia esta reacção não é causada por uma ameaça externa, mas por um estímulo interno, como uma experiência negativa. Este acumular aos poucos contínuo desgasta-nos, mas de acordo com Nick Ortner (apoiado por diversos estudos) o tapping impede o nosso corpo de entrarmos no modo de resposta “lutar ou fugir”. Como é isto possível? É que esta resposta é activada pela amígdala, um dos componentes do sistema límbico. Este sistema é composto por estruturas no cérebro que lidam com as emoções e a memória a longo prazo e também retêm as experiências negativas. O tapping parece desactivar o alarme dado pela amígdala, pois o toque contínuo (com as pontas dos dedos) em diferentes partes do corpo, onde estão localizados os meridianos, envia uma resposta tranquilizante e a amígdala “pensa” que já não há perigo. É seguro relaxar. 

Vamos agora olhar para a sequência da EFT. Esta é composta por nove pontos:

1. Golpe de karaté

Localizado na parte exterior da mão abaixo do dedo mindinho. Usa quatro dedos.

2. Sobrancelha

Localizado na extremidade interior perto do nariz. Usa dois dedos.

3. Lado do olho

Localizado no osso entre o olho e a têmpora. Usa dois dedos.

4. Debaixo do olho

Localizado no osso abaixo do olho. Usa dois dedos.

5. Debaixo do nariz

Localizado entre o nariz e o lábio superior (filtro). Usa dois dedos.

6. Queixo

Localizado entre o lábio inferior e o queixo (sulco mentolabial). Usa dois dedos.

7. Clavícula

Localizado abaixo da clavícula. Usa a mão toda para facilitar.

8. Axila

Localizado cerca de dez centímetros abaixo das axilas (faixa do soutien). Usa a mão toda para facilitar.

9. Cimo da cabeça

Localizado no cimo da cabeça. Usa quatro dedos.

É também importante usar uma escala de classificação de 0 a 10 para que possas seguir o teu progresso, sendo que 0 significa nenhuma intensidade e 10 intensidade máxima.

Antes de começares tens de pensar no problema que tens e focar-te nele. Por exemplo “Estou ansiosa.”. Contudo tens de especificar mais. Estás ansiosa porquê? “Estou ansiosa porque tenho de fazer uma apresentação amanhã para 50 pessoas.”. Quando pensas neste problema sentes tensão nalguma parte do corpo? “Sinto um nó no estômago.”.

Agora podemos começar. Diz o teu problema (de preferência em voz alta, mas podes dizer para ti mesma se preferires) e classifica-o numa escala de 0 a 10Anota-o se quiseres. Depois é altura de começares a fazer tapping. Toca em cada um dos pontos enquanto dizes (de preferência em voz alta) qual é o problema. Por exemplo:

1. Golpe de karaté: Apesar de me sentir ansiosa porque tenho uma apresentação amanhã para 50 pessoas, amo-me e aceito-me como sou (diz 3x)
2. Sobrancelha: Não consigo deixar de pensar nesta apresentação (diz 1x ou mais se sentires que não é suficiente)
3. Lado do olho: Duvido que consiga fazer isto bem (1x ou mais)
4. Debaixo do olho: E se me esqueço das palavras certas? (1x ou mais)
5. Debaixo do nariz: E se as pessoas começarem a rir? (1x ou mais)
6. Queixo: Acho que não consigo fazer isso (1x ou mais)
7. Clavícula: Sinto um nó no estômago (1x ou mais)
8. Axila: Estou tão ansiosa (1x ou mais)
9. Topo da cabeça: Isto significa tanto para mim (1x ou mais)

tu poderás encontrar as melhores palavras para descrever o teu problema e perceber durante quanto tempo precisas de fazer o tapping. Mas imaginemos que fizeste três sequências de tapping (depois da primeira não precisas de repetir o ponto 1) e estás a sentir-te muito melhor. Agora é a altura de começares a dizer coisas positivas enquanto fazes tapping. Por exemplo:

1. Sobrancelha: Mas eu sei que consigo fazer isso (1x ou mais)
2. Lado do olho: Fiz tantas coisas importantes na minha vida (1x ou mais)
3. Debaixo do olho: É apenas uma apresentação e estou preparada para fazer um bom trabalho (1x ou mais)
4. Debaixo do nariz: Estou confiante em relação ao que vai acontecer (1x ou mais)
5. Queixo: Pratiquei o suficiente (1x ou mais)
6. Clavícula: Sou poderosa (1x ou mais)
7. Axila: Tudo vai correr bem (1x ou mais)
8. Topo da cabeça: Acredito em mim. Eu consigo (1x ou mais)

Depois disto, respira profundamente por três vezes. Diz de novo o teu problema “Sinto-me ansiosa porque tenho uma apresentação amanhã para 50 pessoas.”. Como classificarias agora? Com um 7? Ainda é muito intenso e precisarás de continuar a fazer tapping. Ou 2? Isso é muito bom! Às vezes 5-15 minutos são suficientes, mas dependendo da seriedade do problema poderá demorar mais tempo, até meses. É que o tapping também é usado para fobias (como mencionei anteriormente), perda de peso e dor física, mas não tenho experiência pessoal nestes casos.

Este artigo já está muito extenso! Deixo-te aqui um vídeo que te irá ajudar a compreender melhor como usar esta técnica.

Adoraria saber o que pensas. Por favor partilha a tua experiência!

 

Nutre o teu ser,

Natacha
.
.

Pin It on Pinterest